- Atualizado em 12:00

Saúde

47163

Casal denuncia que perdeu bebê por falta de atendimento na rede municipal de Saúde de Osvaldo Cruz

Morte de bebê entre 6 e 7 semanas ocorreu na madrugada desta quarta-feira

OSVALDO CRUZ - Um casal denunciou que perdeu um filho ainda em gestação por falta de atendimento na rede municipal de Saúde de Osvaldo Cruz.

O marido, James Rodrigues Santana e a esposa Beatriz Ferreira de Oliveira esperavam um bebê de 6 a 7 semanas de gestação ontem (27) de manhã e apontam a falta de atendimento na rede municipal como possível causa para o aborto.

"No domingo (24) minha esposa começou a sentir dores. Fomos à Santa Casa e fomos atendidos, onde diagnosticou o princípio de aborto. O médico de plantão medicou e pediu repouso absoluto e que no dia seguinte nós procurássemos o posto de saúde para atendimento de um ginecologista. Na segunda-feira (25) fomos até o Centro de Saúde e nos encaminharam até o posto do bairro Vale do Sol. Fomos até o Vale do Sol, mas lá o médico não estava trabalhando, nos disseram que o médico estava internado. Retornamos ao Centro de Saúde e fui comunicado que não havia vaga, com a possibilidade de encaixe que não aconteceu. Marcaram para o dia seguinte, mas durante a noite perdemos o bebê", afirmou o pai.

O morador de Osvaldo Cruz lamentou o fato de não terem encaixado a esposa numa consulta de avaliação, que ele acredita seria possível ter evitado o aborto.

(continua após a publicidade)


LabVida 162 (saúde) - 28/02/2019

Posição da Prefeitura

De acordo a secretária da Saúde, Ivete Alves Conca, o casal não tinha cadastro na rede municipal de Saúde. A mãe era moradora em Bastos e não havia feito ainda pré-natal em Osvaldo Cruz.

"Ela não consultou na rede municipal de Saúde de Osvaldo Cruz porque era moradora de Bastos e não tem prontuário. Inclusive o casal sabe do tempo de gravidez porque passou pelo Pronto Socorro da Santa Casa. Ela chegou até a Santa Casa com sangramento e foi dito à gestante que ela estava com princípio de aborto. O médico ministrou remédios e pediu que ela fizesse repouso e procurasse um ginecologista para início do pré-natal. Essa moça veio de Bastos há poucos dias e não tinha nos procurado para exames ou consultas referentes à gravidez", disse a secretária Ivete Alves Conca.

Segundo a secretária, o procedimento feito pela Santa Casa está correto quanto à medicação e ao repouso absoluto. "Agora sobre o casal ter procurado o Centro de Saúde tenho a esclarecer que não está errado o procedimento feito porque foi orientado que procurassem o Posto de Saúde do bairro para agendamento de exames e quando eles precisaram de assistência médica de ginecologista foi agendado para o dia seguinte. Infelizmente a mãe perdeu o bebê de um dia para o outro, o que lamentamos profundamente", disse Ivete.
 

Dê sua opinião

Não serão aceitas mensagens com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;


Comentários

Osmar cardoso

28/02/2019 às 12h11


Eu acho uma falta de respeito com o cidadao essa foi a pior desculpa que a dona ivete arrumou deixar de atender uma pessoa so porque ela nao tem cadastro na rede de saude da cidad e lamentavel ler esta materia e ver esta desculpa entao quer dizer que nao podemos mais viajar pois se viajarmos e passarmos mal vamos morrer tbm pois nao seremos atendidos por nao ter cadastro na rede de saude olha a que ponto chega a saude publica deixar de atender so porque nao tem cadastro

 
Fechar

Lista Telefônica Online

Preencha um dos campos abaixo e faça a consulta

Telefone

 
 
 
Fechar
Rádio Califórnia Rádio Clube Rádio Max Rádio Metropole