Polí­tica

43853

Samir lamenta rejeição de contas e já pensa na defesa junto ao Ministério Público

Ex-prefeito sofreu derrota na Câmara de Parapuã, após vereadores, por maioria de votos, acompanharem o parecer do Tribunal de Contas do Estado (TCE)

(Foto: João Vinícius/Grupo Impacto) (Foto: João Vinícius/Grupo Impacto)

PARAPUÃ - O ex-prefeito de Parapuã, Samir Alberto Pernomian, lamentou a rejeição, por parte da Câmara Municipal, das contas de sua administração referentes ao ano de 2015.

É que na última semana, por maioria de votos, os vereadores optaram por acompanhar o parecer do Tribunal de Contas do Estado (TCE) que rejeitou as contas de 2015.

Foram favoráveis ao parecer do TCE os vereadores Edson Rodrigues, Glauco James Benvindo Monteiro Junior, Manoel Duarte de Souza, Paulo Roberto Martins, Sidney Aparecido Fernandes Teruel e Roberto Carlos Pereira.

A favor de Samir, e naturalmente contrários ao TCE, foram: Aparecido Molina, Edson Aparecido Munhoz Narvas e Lee Jefferson.

O TCE rejeitou as contas de Samir por entender que houve um desvio de função de funcionários na Educação, além de apontamentos na parte de gastos com pessoal.

“Tínhamos alguns cargos em comissão e eu demiti todos, em 2015, para tentar baixar os gastos com pessoal, mas mesmo assim não abaixou, pois tivemos um ano de crise, queda de arrecadação e os gastos subindo. Eu teria que ter mandado funcionários de carreira embora. Eu não tinha como fechar salas de aula e mandar funcionários embora. Assumi todos esses riscos, inclusive das contas serem rejeitadas, o que realmente aconteceu”, explicou Pernomian.

O ex-prefeito, porém, lamentou a decisão da Câmara.

“Neste caso, mesmo a gente explicando para os vereadores os motivos, como entregamos a administração, com gastos de pessoal baixo, sem contas a pagar, uma Prefeitura em ordem, mesmo assim os vereadores entenderam que teriam que ratificar o que o TCE rejeitou”, disse Samir.

“O Tribunal avalia, friamente, os números. Eles não sabem da realidade das Prefeituras, do município e o que está acontecendo ou deixa de acontecer. Por isso que vem para a Câmara, para que os vereadores avaliem o que realmente aconteceu dentro da administração”, seguiu o ex-prefeito.

Prefeito fica inelegível e vai se defender no MP

Além das contas rejeitadas, Samir, a partir de agora, está inelegível por oito anos.

Além disso, o ex-prefeito deverá apresentar defesa ao Ministério Público (MP).

“O MP também apura a administração do prefeito. Por isso, vou me defender no MP. Acaba sendo uma coisa muito injusta, pois administrar um município está muito difícil”, finalizou Samir.

Dê sua opinião

Não serão aceitas mensagens com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;


Comentários
 
Fechar

Lista Telefônica Online

Preencha um dos campos abaixo e faça a consulta

Telefone

 
 
 
Fechar
Rádio Califórnia Rádio Clube Rádio Max Rádio Metropole