- Atualizado em 18:15

Polí­cia

50003

Funcionária e namorado são presos suspeitos de roubar quase R$ 40 mil de clínica oftalmológica em Presidente Prudente

Polícia Militar recuperou a quantia de R$ 30,1 mil, que foi restituída à empresa vítima. Criminosos permanecem à disposição da Justiça.

PRESIDENTE PRUDENTE - Uma mulher, de 30 anos, e um homem, de 34 anos, foram presos suspeitos de roubar cerca de R$ 40 mil de uma clínica oftalmológica na manhã deste sábado (21), em Presidente Prudente (SP). A mulher, que é namorada do suspeito, também é funcionária da clínica que foi alvo do roubo.
 
Conforme informações do Boletim de Ocorrência registrado na Delegacia Participativa da Polícia Civil, o proprietário do local, de 62 anos e uma outra funcionária, de 19 anos, estavam na clínica no momento do roubo, além da funcionária suspeita de participar do crime.
 
O proprietário, conforme a ocorrência, relatou que o homem havia fugido em um veículo, que pouco depois foi encontrado pela polícia no estacionamento de um shopping. O carro estava aberto e no porta-luvas foi encontrado um carimbo com o nome da funcionária suspeita de participar do roubo.
 
Ao consultar as placas do veículo, a Polícia Militar constatou que o proprietário já possuía passagem criminal por roubo e que ele era namorado da funcionária suspeita.
 
No carro ainda foram encontrados uma caixa de som, um envelope com R$ 30,1 mil em notas de R$ 100 e de R$ 50 e uma camiseta listrada, que foi utilizada pelo criminoso no assalto, conforme a Polícia Civil.
 
As filmagens de segurança do estacionamento do shopping foram averiguadas e nelas, a polícia constatou o momento que o suspeito e um outro indivíduo, que não foi localizado, deixaram o local.
 
Em seguida, a equipe policial retornou à clínica e realizou uma vistoria na motocicleta da funcionária suspeita e no compartimento de carga encontrou um envelope vazio com o nome de um paciente. Não havia dinheiro no envelope.
 
A funcionária, vítima do roubo, reconheceu que o envelope pertencia à clinica.
 
A polícia questionou a funcionária suspeita sobre o envelope e ela não soube responder. Quanto ao crime, ela disse não ter participação, que somente havia dito a seu namorado que naquele dia aconteceriam diversas cirurgias no local e por conta disso demoraria a voltar para casa.
 
Diante dos fatos, a funcionária foi conduzida à Delegacia Participativa da Polícia Civil e enquanto a ocorrência era registrada, o namorado passou a pé em frente ao plantão, foi reconhecido e abordado pelos policiais.
 
O homem informou que o veículo encontrado era de sua propriedade e confessou ter cometido o roubo. Afirmou que estava sozinho e isentou a funcionária do crime.
 
No entanto, pelas circunstâncias, a polícia acredita que a funcionária participou do assalto. Ambos foram presos.
 
Os R$ 30,1 mil recuperados pela polícia foram restituídos à empresa vítima.
 
Castilho 418 (polícia) - 23/03/2020
 
Depoimentos
 
A funcionária da clínica, suspeita de estar envolvida no crime, conforme registro da ocorrência, relatou que faz cerca de dois meses que trabalha como auxiliar de enfermagem no local e que namora o homem suspeito de cometer o roubo há um ano. Ela ainda alegou que não tinha conhecimento que ele possuía passagem criminal.
 
A mulher relatou detalhes sobre o roubo, dizendo que, por volta das 10h, neste sábado (21), um rapaz branco e magro entrou na clínica pedindo para tomar suco. Ele foi lá por duas vezes, tomou o suco e foi embora.
 
Por consideraram a atitude estranha, ela e uma outra funcionária fecharam a porta do local, conforme o boletim.
 
Duas horas depois, entrou um rapaz moreno, conforme descrito na ocorrência, que cobria parcialmente o rosto com a própria camiseta, fazendo menção de estar armado e exigindo a entrega do dinheiro. A camiseta utilizada pelo suspeito era listrada.
 
O homem, segundo o boletim, vasculhou as gavetas e pegou dois envelopes com dinheiro.
 
Além da quantia em dinheiro, o assaltante também levou alguns celulares, inclusive o da funcionária suspeita de participar do roubo, conforme depoimento dela na ocorrência.
 
Quanto ao envelope encontrado em sua motocicleta, a funcionária alegou que há algum tempo havia escrito o nome de um paciente errado e pelos patrões não gostarem de que joguem papéis fora, dobrou e guardou no jaleco, posteriormente, guardou no compartimento da moto.
 
A funcionária tomou ciência de que o namorado havia confessado o crime quando já estava na delegacia, no entanto, de acordo com o boletim, ela afirmou que não foi ele quem entrou na clínica e subtraiu os envelopes com dinheiro.
 
Já o namorado, suspeito de cometer o crime, confessou que por ter conhecimento de que na clínica os médicos recebem pagamento somente em dinheiro, teve a ideia de praticar o assalto, conforme o boletim.
 
Desfecho
 
Conforme o Boletim de Ocorrência, a Polícia Civil representou pela prisão preventiva do homem, que confessou o crime. Ele será submetido a audiência de custódia.
 
Quanto a funcionária, que pode ter participado do crime, a polícia entendeu ser desnecessária converter sua prisão em preventiva, pois ela não possui antecedentes criminais, mantendo a prisão temporária, que poderá ser convertida em prisão domiciliar, conforme a ocorrência.
 
A suspeita permaneceu à disposição da Justiça e também será submetida a audiência de custódia.
 
Ele ainda declarou que a namorada não tinha ciência de seu plano e que achava que ela não estaria no local no momento do crime.
 
O dinheiro, conforme declarou o suspeito, iria "desenrolar" algumas coisas de sua casa, onde mora com a namorada.
 
O homem ainda contou que depois de deixar o veículo no estacionamento do shopping, recebeu uma ligação da namorada, dizendo que iria demorar porque a clínica havia sido assaltada e que os policiais já sabiam quem eram os autores.
 
Em seguida, o suspeito retornou ao estacionamento e escondeu o dinheiro dentro da caixa de som do veículo, deixou o carro no local e fugiu a pé, conforme a ocorrência.
 
Depois, pelos vestígios deixados e por imaginar que a namorada seria suspeita do crime, o homem declarou que optou em ir à delegacia confessar a prática e devolver o dinheiro, afirmando que cometeu o roubo sozinho, segundo consta no boletim.
 
O homem ainda relatou à polícia, conforme o boletim, que já havia tido envolvimento anteriores com os crimes de receptação, estelionato e roubo.
 
Dê sua opinião

Não serão aceitas mensagens com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;


Comentários
 
Fechar

Lista Telefônica Online

Preencha um dos campos abaixo e faça a consulta

Telefone

 
 
 
Fechar
Rádio Califórnia Rádio Clube Rádio Max Rádio Metropole