- Atualizado em 12:00

Polí­cia

48607

Força Tática da Polícia Militar prende assassino de mulher em Adamantina em uma chácara na zona rural de Osvaldo Cruz

Jorge Marcelo Barreto estava escondido em propriedade no Bairro Canguçu

OSVALDO CRUZ - A Força Tática da Polícia Miiltar prendeu na Chácara Santa Bárbara, Bairro Canguçu, zona rural de Osvaldo Cruz, Jorge Marcelo Barreto, 32, autor de feminicídio contra a ex-companheira, Mara Jaqueline Flor dos Santos, de 29 anos, na última terça-feira (10) em Adamantina.

Segundo a Assessoria de Comunicação do 25º Batalhão da Polícia Militar de Dracena, o assassino estava foragido e foi preso após denúncia anônim por volta das 22 horas. O procurado, após ser preso, confessou o crime.

Poucas horas antes, a Polícia Civil de Adamantina havia anunciado a prisão do co-autor do crime, que foi detido em Caiabu. O homem preso horas antes auxiliou o feminicida. Este segundo envolvido  conduziu em seu próprio veículo o autor até a casa da vítima. Ele aguardou o cometimento do feminicídio e, em seguida, deu fuga para o suspeito.

Após o flagrante, o assassino foi conduzido à Adamantina, onde estão centralizados os trabalhos de investigação.

Relembre o caso

A vítima, Mara Jaqueline Flor dos Santos, de 29 anos, foi morta por Jorge Marcelo Barreto na terça-feira (10), no Jardim Primavera, em Adamantina. A vítima foi atingida no pescoço por uma faca, na frente do filho. Ela morava na casa da irmã.

Quando os policiais chegaram ao local, encontraram a vítima caída na porta da cozinha, com intenso sangramento. Ela chegou a ser socorrida e levada ao Pronto-socorro pelo Corpo de Bombeiros, mas chegou sem vida à unidade.

A vítima havia se separado do suspeito e, conforme o relato da irmã, chegou a se mudar de casa várias vezes porque o homem sempre a perturbava.

Na terça-feira, o homem enviou uma mensagem à Jaqueline dizendo que precisava de um documento do filho dela, que ele assumiu e registrou em seu nome. O indivíduo teria dito que tinha a intenção de tirar seu nome do registro da criança porque não queria mais vínculo com a vítima.

Porém, com receio de alguma atitude violenta contra a mulher, a irmã da vítima disse que levaria a certidão de nascimento no lugar dela e foi o que aconteceu.

Pouco tempo depois, o ex-companheiro mandou outra mensagem à ex-mulher dizendo que ela poderia ir buscar o documento, no mesmo ponto.

Novamente, quem foi ao local foi a irmã da vítima, mas foi uma manobra do assassino para tirar a ex-cunhada da residência. Em seguida, um amigo da família contou que a mulher havia sido esfaqueada. Jorge chegou na varanda da casa e pediu à ex-companheira para pegar o filho no colo. A mulher lhe entregou a criança. O feminicida devolveu o filho e, em seguida, pegou uma faca e atingiu a vítima no pescoço. A mulher ainda conseguiu entrar na casa e colocar a criança no carrinho, mas caiu na porta da cozinha, onde permaneceu até a chegada da polícia.

O corpo de Mara Jaqueline foi sepultado nesta quarta-feira em Mariápolis.


 

Dê sua opinião

Não serão aceitas mensagens com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;


Comentários
 
Fechar

Lista Telefônica Online

Preencha um dos campos abaixo e faça a consulta

Telefone

 
 
 
Fechar
Rádio Califórnia Rádio Clube Rádio Max Rádio Metropole