Destaque

48070

Morre na África a professora de Junqueirópolis vítima de malária cerebral

Professora não resistiu ao agravamento do quadro de malária cerebral e morreu em Angola

INTERNACIONAL - A professora universitária junqueiropolense Daniela Pinheiro Bitencurti, de 42 anos, morreu na cidade de Luanda, capital de Angola, na África. Ela não resistiu ao agravamento do quadro de malária cerebral.

Daniela era professora da Universidade Federal de Sergipe, campus do Sertão, e proferiu palestras sobre Geotecnologia Aplicadas ao Meio Ambiente no país africano. Ela estava e Angola desde o começo de junho.  Além de Luanda, Daniela passou por outras duas províncias no país africano.

A notícia da morte foi publicada na manhã de hoje (27) pelo seu cunhado Geoff Ruzgar, em sua página do Facebook. A morte também repercutiu na imprensa africana, com uma reportagem exibida na Record TV África.

Daniela Bitencurti foi encaminhada para uma clínica privada com avançado quadro de malária cerebral, após ser encontrada desacordada na manhã da última sexta-feira (21). Ela estava internada na UTI em estado bastante crítico.

A junqueiropolense retornaria ao Brasil no mesmo dia em que foi encontrada desacordada na casa que alugou. Ela foi socorrida por familiares da locatária do imóvel.

Em entrevista à Record TV África, a operadora turística Maria Saraiva, uma das proprietárias do imóvel alugado – que acompanhou a professora no socorro médico – disse que o estado de saúde dela era muito crítico. “Os médicos disseram que as disfunções que ela apresentava nos órgãos estavam controladas, mas o problema era que ela não apresentava reação neurológica”, relatou.

Dê sua opinião

Não serão aceitas mensagens com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;


Comentários
 
Fechar

Lista Telefônica Online

Preencha um dos campos abaixo e faça a consulta

Telefone

 
 
 
Fechar
Rádio Califórnia Rádio Clube Rádio Max Rádio Metropole