Destaque

48755

Caso Mariana: laudo do IML aponta que jovem foi morta por asfixia

Mariana Bazza aceitou ajuda do suspeito para trocar pneu do carro, em Bariri

BARIRI - A universitária Mariana Bazza, encontrada morta depois de ficar um dia desaparecida, foi assassinada por asfixia mecânica causada por estrangulamento, segundo laudo do Instituto Médico Legal (IML) de Araraquara (SP).

A jovem desapareceu ao sair da academia onde frequentava, em Bariri (SP), no dia 24 de setembro. Ela foi encontrada morta um dia depois em uma área de canavial em Ibitinga (SP).

Segundo a Polícia Civil, o laudo do IML não informa sobre abuso sexual, porém, a polícia não descarta o crime. Outros laudos foram pedidos pela polícia e ainda estão sendo elaborados em São Paulo. O resultado deve sair em até 60 dias.

O suspeito de matar Mariana, Rodrigo Alves Pereira, ajudou a universitária a trocar o pneu do carro momentos antes dela desaparecer.

Ele foi preso em Itapólis (SP) e está sendo indiciado por latrocínio, que é o roubo seguido de morte, por ter levado o carro da vítima. O veículo também foi encontrado em Itápolis.

 

Dê sua opinião

Não serão aceitas mensagens com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;


Comentários
 
Fechar

Lista Telefônica Online

Preencha um dos campos abaixo e faça a consulta

Telefone

 
 
 
Fechar
Rádio Califórnia Rádio Clube Rádio Max Rádio Metropole