Covid-19

51103

Rússia anuncia que aprovará registro de vacina para Covid-19 já em agosto, mesmo antes de teste em larga escala

Produção deve começar em setembro.

INTERNACIONAL - A primeira vacina contra Covid-19, em desenvolvimento na Rússia, receberá aprovação regulatória local ainda em agosto, anunciou o governo nesta quarta-feira (29).
 
Tatiana Golikova, vice-primeira-ministra da Rússia, afirmou que o imunizante em desenvolvimento no Instituto Gamaleya de Epidemiologia e Microbiologia, em Moscou, tem registro previsto para agosto de 2020 com a condição de "outro ensaio clínico para 1.600 pessoas ser realizado" em seguida.
 
"O início da produção está previsto para setembro de 2020", completou.
 
O cronograma citado pela vice-primeira ministra confirma as previsões já divulgadas anteriormente, que não indicam que haverá oferta do imunizante para a população logo após esta etapa de aprovação local.
 
"Os ensaios clínicos (da vacina desenvolvida pelo Centro de Pesquisa Estatal Vector de Rospotrebnadzor) começaram, sua conclusão e o registro estatal estão planejados para setembro. O primeiro lote está previsto para ser produzido em outubro de 2020" - Tatiana Golikova, vice-primeira-ministra da Rússia
Sobre a vacina do Instituto Gamaleya, uma fonte da agência Reuters próxima ao desenvolvimento afirmou que "a aprovação (regulatória) será nas duas primeiras semanas de agosto".
 
"Dez de agosto é a data esperada, mas seguramente será antes de 15 de agosto. Todos os resultados (experimentais) até agora são altamente positivos", disse essa fonte.
 
O instituto concluiu este mês os primeiros testes em humanos com o imunizante baseado em adenovírus e espera iniciar os testes em larga escala em agosto, informa a Reuters.
 
A vacina será administrada aos profissionais de saúde da linha de frente logo em seguida, afirmou a fonte da agência.
 
Interesse brasileiro
 
No Brasil, ao menos dois estados já manifestaram interesse. Representante do governo estadual do Paraná esteve nesta semana com o embaixador russo para discutir uma possível parceria e ofereceu a estrutura do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) para a produção. Os envolvidos ainda não chegaram a um acordo.
 
Em São Paulo, o presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, afirmou durante coletiva nesta quarta-feira (29) que o governo da Rússia procurou o governo de São Paulo para se associarem na produção da vacina.
 
"Nós fomos procurados por emissários do governo russo. Porque essa vacina, ela é feita no instituto estatal russo, enfim, eles queriam saber se nós poderemos nos associarmos a ele para a produção dessa vacina", disse Dimas.
 
Em desenvolvimento
 
Mais de 100 possíveis vacinas estão sendo desenvolvidas em todo o mundo para tentar acabar com a pandemia. Pelo menos quatro estão em fase final de testes em humanos na Fase 3, de acordo com dados da OMS, incluindo três desenvolvidos na China e outro na Reino Unido.
 
Dê sua opinião

Não serão aceitas mensagens com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;


Comentários
 
Fechar

Lista Telefônica Online

Preencha um dos campos abaixo e faça a consulta

Telefone

 
 
 
Fechar
Rádio Califórnia Rádio Clube Rádio Max Rádio Metropole