- Atualizado em 14:21

Blog do Giu

37988

Chuvas danificam parte da rua Ipê

Prefeitura deve notificar proprietário de área

Situação da rua Ipê, após chuvas da semana passada- Foto: Cristiano Nascimento Situação da rua Ipê, após chuvas da semana passada- Foto: Cristiano Nascimento

As chuvas que caíram em Osvaldo Cruz na semana passada danificaram o prolongamento da rua Ipê, próximo ao bairro Sylvia Maluf, a partir da rua Guarantã. A enxurrada que desceu forte de propriedade vizinha e da própria rua Ipê arrancou parte do asfalto, abrindo buracos e causando problemas no acesso de moradores do Residencial Ipê.

Segundo o secretário de Operações Urbanas, Adelino Alves da Silva, a abertura de um acesso em propriedade particular por moradores do residencial Santa Tereza foi o motivo para que a enxurrada contribuísse para os danos. "A rua aberta por moradores do Santa Tereza de forma irregular fez com que muita terra fosse parar dentro das galerias pluviais, que entupiram. A água então foi para a rua, levando embora o pavimento", disse.

A Prefeitura fez obras de limpeza das galerias e ações de contenção da água na região para evitar mais danos no asfalto e deve notificar o proprietário da área onde a rua foi aberta cladestinamente.

O secretário de Operações Urbanas, Adelino Alves da Silva, disse por telefone que a empresa ou proprietário da área onde foi aberta a rua clandestina deverá ser notificado (a) para que feche o acesso.

Proprietário da área contesta existência de empreendimento no local

Em contato com o empresário José Costa, representante da empresa Bracol, dono da área onde os moradores abriram a rua cladestina, este informou que não existe empreendimento (loteamento) no local, mas que chegou a colaborar numa parceria público-privada para o asfaltamento de parte da rua Ipê.

"Legalmente esta rua não existe e infelizmente os moradores fizeram a abertura para facilitar o acesso ao Jardim Santa Tereza, o que pode ter causado o problema", afirmou.

Segundo José Costa, a prefeitura recebeu a obra de pavimentação do trecho rua Ipê e agora terá que refazer os trechos que estão danificados.

Outro empresário explica parceria como foi para asfalto da rua Ipê

Já o empresário Cícero Tripolone, proprietário da Nova Imobiliária e que representou a GTL Incorporadora, que fez o Residencial Ipê-1 (bairro vizinho ao Jardim Santa Tereza) explicou que para o asfaltamento do trecho da rua Ipê foi feita uma parceria entre as empresas Bracol, Cosmo e a Prefeitura.

"A empresa Bracol entrou com R$ 60 mil para a construção das galerias de águas pluviais. Já Cosmo empreendimento entrou com mais R$ 60 mil para mnaterial e mão de obra de galerias. A Prefeitura entrou com R$ 75 mil para a mesma finalidade e a nossa empresa, a GTL Incorporadora, investiu R$ 130 mil para o asfaltamento da rua. Nossa empresa entrou com a parte bem maior, mesmo que o pavimento seja só de responsabilidade do município", afirmou.

O representante da GLT enfatizou que o município recebeu a obra e assim incorporou as melhorias ao seu patrimônio e por isso deve arcar com a reparação da rua Ipê,

"Mas se precisarem de alguma ajuda para resolver o problema, colocamos nossas máquinas à disposição em respeito aos nossos clientes do Residencial Ipê", completou Tripolone.
 

Fotos:

Dê sua opinião

Não serão aceitas mensagens com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;


Comentários
 
Fechar

Lista Telefônica Online

Preencha um dos campos abaixo e faça a consulta

Telefone

 
 
 
Fechar
Rádio Califórnia Rádio Clube Rádio Max Rádio Metropole