Acontece

41875

Justiça decreta prisão preventiva de envolvidos na Operação Judas Iscariotes

Investigações para o combate ao tráfico de drogas foram realizadas pelo Ministério Público Estadual (MPE) e pela Polícia Civil, em Rosana

Operação Judas Iscariotes foi realizada em Rosana (Foto: Ismael Batista Reis/Cedida) Operação Judas Iscariotes foi realizada em Rosana (Foto: Ismael Batista Reis/Cedida)

ROSANA - O juiz da Vara Única do Fórum da Comarca de Rosana, Ricardo Baréa Borges, decretou nesta terça-feira (21) a prisão preventiva de 19 pessoas envolvidas na Operação Judas Iscariotes, realizada pelo Ministério Público Estadual (MPE) e pela Polícia Civil para combater o tráfico de drogas na cidade. São 18 homens e uma mulher, todos já presos em decorrência da deflagração da operação. Outros dois envolvidos tiveram a preventiva negada pelo juiz, mas seguem presos em razão de flagrantes realizados durante as investigações.

O pedido de prisão preventiva foi apresentado pelo promotor de Justiça Renato Queiroz de Lima, que sustentou ao Poder Judiciário a atuação conjunta dos envolvidos para o comércio de entorpecentes na cidade.

A operação levou o nome de Judas Iscariotes porque um dos envolvidos virou evangélico e resolveu trair o grupo.

“No caso dos autos, repita-se por importante, há vastos elementos informativos que demonstram sem sombra de dúvidas que realmente os acusados são traficantes de drogas e atuavam juntos de forma associada nesta cidade de Rosana. Ademais, analisando somente o tempo que a investigação tramita, verifica-se que o crime de associação para fins de tráfico de drogas resta mais do que bem demonstrado, inclusive com materialidade comprovada do vínculo de estabilidade e permanência”, salientou o representante do MPE.

'Pessoas perigosíssimas'

“Analisando especificamente a situação concreta de cada um dos acusados, verifica-se que são pessoas perigosíssimas, que em liberdade podem muito bem praticar outros crimes”, enfatizou Lima.

Na denúncia oferecida à Justiça, o promotor citou que, a partir da deflagração da Operação Judas Iscariotes, em 23 de setembro deste ano, não foram mais registrados flagrantes de tráfico de drogas em Rosana e que a prisão temporária de todos os acusados “trouxe a ordem pública de volta à cidade”.

“Graças à prisão dos acusados, hoje as famílias podem livremente brincar e se divertir com seus filhos no estádio de futebol da cidade, na praça central, e andar pelas ruas tranquilamente, pois não terão o desagrado de serem interpeladas pelos traficantes de drogas, os acusados, que dominavam esses locais”, comentou Lima.

Além dos 21 adultos presos, existem ainda dois adolescentes apreendidos por envolvimento na Operação Judas Iscariotes.

‘Intranquilidade social’

“Os efeitos deletérios que a droga causa à sociedade quando distribuída estão estampados diariamente nas páginas dos noticiários em todo o Brasil, destruindo a vida de pessoas, dissolvendo famílias e gerando intranquilidade social. Diversos crimes graves são decorrentes do tráfico de drogas: roubos, homicídios, latrocínios, extorsões, corrupção, concussão, dentre outros. Trata-se, portanto, de um crime-gênese que acaba por desencadear toda uma sequência de violência, dor, sofrimento e ódio”, argumentou o juiz Ricardo Baréa Borges.

“No caso dos autos, está cabalmente demonstrado que a ordem pública foi concretamente abalada pelo cometimento das graves infrações aqui imputadas aos denunciados, equiparadas a crimes hediondos, sendo que alguns deles ainda se utilizavam de menores para o cometimento de seus crimes, traficando drogas de forma reiterada e afrontosa não só às instituições constituídas para a persecução penal, mas a toda sociedade, que se viu refém desses indivíduos”, prosseguiu o magistrado.

“Ademais, a longa investigação realizada demonstrou que, no caso concreto, os acusados, ao que consta, estariam se dedicando a atividades criminosas há tempos, o que demonstra concretamente o perigo à ordem pública. Assim, como forma de neutralizar a ação desses indivíduos, a prisão preventiva servirá para garantir a ordem pública”, concluiu o juiz.

Dê sua opinião

Não serão aceitas mensagens com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;


Comentários
 
Fechar

Lista Telefônica Online

Preencha um dos campos abaixo e faça a consulta

Telefone

 
 
 
Fechar
Rádio Califórnia Rádio Clube Rádio Max Rádio Metropole